sobre filhas e namoros: como espantar pretendentes

Esse texto é uma tradução. O original foi postado no blog pessoal de Jen Wilkin e depois reproduzido no site do The Gospel Coalition.


 

Eu tenho duas filhas adolescentes, por isso foi com algum interesse que li um artigo recente intitulado “Inscrição para namorar minha filha”. Foi até engraçado, brincando com a ideia estereotipada do pai com arma em punho e a filha morrendo de vergonha enquanto eles negociam os termos complicados de um primeiro relacionamento. Então, os blogueiros cristãos pegaram o conceito, e na maioria das vezes, essas versões foram engraçadas também. Havia alguns temas comuns: pretendentes desempregados com as calças frouxas, pais fazendo ameaças inspirados no Chuck Norris. Eu não perdi meu senso de humor bem desenvolvido até que eu cometi o erro tático de olhar alguns dos comentários. Aí eu fiquei simplesmente triste.

Aqui está o comentário que me deixou mais triste, postado por um pai cristão jovem e bem-intencionado:

“Mano, isso é incrível. Minha filha tem apenas 2 anos de idade, mas eu estou imprimindo isso para a minha geladeira. Obrigado pelo seu exemplo piedoso.”

Oh céus.

Ok, a brincadeira acabou. Mano. Vamos falar de estratégia por um segundo. Isso é tudo que você tem? Você precisa de um plano melhor do que estas técnicas de intimidação de baixo nível. Afinal, ela é sua filha. Então vamos falar francamente sobre o que você precisa fazer para proteger seus interesses quando se trata de namoro. Em vez de carregar uma arma ou imprimir um formulário, você precisa construir um muro.

É isso mesmo, você ouviu certo: construir um muro. Estilo “Rapunzel”. Construí-lo tão alto que só o mais forte dos pretendentes pode escalá-lo. Mas não espere até que seu bebê seja um adolescente, mano – comece agora. Comece ontem. Não há tempo a perder.

Construa um muro

Em Cantares de Salomão 8:8-9 ouvimos a esperança de uma família que a sua irmã mais nova vai crescer e se tornar uma mulher de força e dignidade. Você consegue adivinhar qual metáfora que eles usam para descrever esse tipo de mulher? Um muro. Sua irmã assegura-lhes no versículo 10 que ela é realmente um muro, completo com torres. Sua declaração indica certeza de que ela não é apenas forte, mas também capaz de defender-se contra quaisquer pretendentes indignos. Isso é o que você quer, mano – você quer um muro.

Aqui está o problema com piadas de espingarda e inscrições fixadas na geladeira: a qualquer um prestando atenção, eles anunciam que você espera plenamente que a sua filha não saiba julgar corretamente. Tenha certeza de que sua filha está prestando atenção. E não fique chocado se ela alcançar sua expectativa. Você poderia querer se preocupar menos com aterrorizar e espantar potenciais pretendentes e preocupar-se mais com preparar sua filha para escolher sabiamente. E isso significa a construção de um muro.

Em vez de intimidar todos os potenciais pretendentes da sua filha, crie uma filha que saiba intimidá-los muito bem sozinha. Porque você sabe o que é intimidador? Força e dignidade. Fé profunda. Autoconfiança. Sabedoria. Bondade. Humildade. Diligência. Esses são os tijolos que constroem um muro que vai deter os avanços do Sr. Calças Caindo, você aparecendo com uma espingarda carregada ou não. O pretendente inadequado não vai achar nada mais aterrorizante do que uma mulher que sabe o seu valor para Deus e para sua família.

Muito forte?

Mas aqui está a dura realidade: se você criar essa filha, ela provavelmente vai intimidar uma boa quantidade de “bons meninos cristãos” também. Porque um número razoável desses caras têm algumas ideias malucas sobre o que significa ser cabeça. Fico surpresa e entristecida com a forma como muitas vezes eu ouço jovens homens solteiros dizer de mulheres solteiras brilhantes e cheias de dons, “Uau, ela é tão forte que eu não acho que eu poderia liderá-la.” Aí, muitas mulheres solteiras brilhantes e cheias de dons começam a considerar maneiras de “abaixar o tom” ou “suavizar-se um pouco.”

Crie uma filha forte, mesmo que – não, especialmente se isso significa que potenciais pretendentes irão questionar se eles podem “liderá-la”… seja lá o que isso significa para eles. Você acabou de identificar esses pretendentes como inelegíveis, sem precisar de um processo de candidatura. Liderança não é sobre o forte procurando pessoas mais fracas para liderar. É sobre o humilde procurando aqueles cujos pontos fortes compensam suas fraquezas e complementam os seus pontos fortes. Líderes fortes se cercam de pessoas fortes, não de pessoas fracas. Ao invés de encontrar os pontos fortes dos outros ameaçadores, eles os celebram e aproveitam. Isto é o básico de gestão, mas temo que jovens cristãos e pais cristãos bem-intencionados ficaram um pouco confusos sobre o conceito.

Abaixe sua arma

Muitas vezes penso que se nós examinarmos nossa paternidade com a mesma intensidade que pretendemos examinar os potenciais pretendentes de nossas filhas, nós pararíamos de especular sobre espingardas e formulários e começaríamos a construir esse muro. Então, querido pai bem-intencionado de uma menina de 2 anos de idade, por favor, não dê “print” nesse formulário ainda. Em vez de examinar o homem que sua filha traz para casa, examine primeiro o homem que trouxe sua filha para casa do hospital. Ela não precisa da fanfarronice tardia de suas intenções para protegê-la de tolos com as calças caídas quando ela é uma adolescente. Ela precisa que você vista as suas e invista no seu caráter, agora.

Então, abaixe sua espingarda. Pegue seu livro de princesa, ou prancheta de treinador. Tome um assento no seu cafézinho imaginário. Ensine-a a trocar pneus e cortar grama. Discuta política e economia e teologia. Elogie uma roupa nova ou um 10 em matemática. Diga-lhe que você acha que ela é absolutamente linda. Ajoelhe-se ao lado dessa cama rosa e ore até o joelho sangrar. Crie uma filha com coração e mente totalmente carregados de modo que uma espingarda totalmente carregada seja desnecessária. Ela não deveria precisar de você para assustar pretendentes fracos. Deixe que sua força e dignidade façam o serviço. Decida se contentar com nada menos do que a melhor proteção para sua filha. Decida ser o tipo de homem que você quer que ela traga para casa. Decida construir um muro.

“Temos uma irmãzinha (…) O que faremos com nossa irmã no dia em que for pedida em casamento? Se ela for um muro, construiremos sobre ela uma torre de prata…” (Cantares 8:8,9)

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: