uma defesa do envelhecimento

é irônico né? uma mulher* de 23 anos escrever sobre envelhecimento. mas a verdade é que com cada minuto que passa, todos nós envelhecemos. não tenho que defender isso. é biológico e nós podemos falar quantas vezes quisermos que somos de “alma jovem”, mas o corpo está aí e não nos deixa mentir: o tempo passou e em breve, nós também passaremos.
o que há para defender então?
anos atrás, quando me familiarizei com Einstein e o que dizia sobre a relatividade do tempo, achei um pouco sem sentido. afinal, os segundos, os anos, as décadas passam independentemente de qualquer coisa. o tempo não é relativo. mas é, e é importante ressaltar que enquanto falo sobre um fenômeno chamado “prologamento da adolescência” (ou “expansão da adolescência”), existem milhares de mocinhas e mocinhos com 14 anos que sequer tiveram adolescência, e hoje já tem filhos, cônjuges, casas. eles existem e merecem ser lembrados.
mas aqui, na minha esfera social, leio e vejo matérias sobre o contrário. “a adolescência agora pode durar até os 30 anos!”, ouvi uma repórter falando na TV outro dia.
e é confortável que dure. a adolescência é uma invenção do último século (até então ou você era criança, ou era adulto), e parece ser um sonho dourado: você tem privilégios (que aumentam a cada geração), e pouquíssimas responsabilidades. uma fase onde você curte com seus amigos, mas não se preocupa em pagar contas. pode namorar sem a pressão de ter que assumir um compromisso sério. estuda e já acha demais! quem não quer viver a vida toda assim?
já a velhice…”eu posso até envelhecer, mas nunca vou ficar VELHA!”. ser velha é sinônimo de ser chata (como se houvesse fase mais chata do que a adolescência, repleta de hormônios, mudanças de humor e acne). para a mulher então, as marcas físicas da velhice são de dar medo. rugas, cabelos brancos, linhas de expressão… todas indicam que o tempo passou e que nos desgastou no processo. Bauman diz (em seu excelente livro “Vida para Consumo”) que na sociedade de consumidores se espera de nós seres humanos, a mesma condição que esperamos da nossa mercadoria (sempre nova, atualizada, descartável). A velhice então indica o uso prolongado e se torna assim, indesejável.
o que nos resta fazer?
no meu casamento, fiz um banner com um hino chamado “Love Divine, all Loves Excelling”. Ele foi escrito por Charles Wesley (o irmão menos reconhecido de John Wesley) e publicado pela primeira vez em 1747. ali, naquelas palavras escritas 268 anos antes daquele evento (muito mais anos que qualquer um de nós vai durar), existia algo de beleza eterna. que o tempo não desgasta, não diminui, não destrói.
em Cristo, o tempo nos aprimora. Nossa vida é “como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.” (Provérbios 4:18) a aproximação ao dia perfeito não é algo para ser evitado a qualquer custo, e sim a ser celebrado com alegria e fé. estamos mais próximos de alcançar em plenitude tudo aquilo para qual fomos criados.
*de cara, escrevi “menina de 23 anos”. parei porque me senti estranha. não sou mais menina. Will Durant escreveu em “Filosofia da Vida”: “No dia a seguir ao casamento os noivos estão mais velhos cinco anos. Biologicamente, a idade madura começa com o casamento, porque o descuidoso brincar de até ali substitui-se pelo trabalho e pela responsabilidade, a paixão cede diante das limitações da ordem social – a poesia passa a prosa.” o tempo se relativizou e eu envelheci.

passei um dia pensando sobre isso e me sentindo nostálgica, mas depois me lembrei do que ouço o Chris Martin (Coldplay) cantar desde 2002:

“time is on your side, it’s on your side now
not pushing you down
and all around
no, it’s no cause for concern

tradução livre:
o tempo está do seu lado, está do seu lado agora
não te empurrando para baixo
e te arrastando para todo lado

não, não é motivo de preocupação
Em Cristo, estou certa: o tempo está do meu lado.
créditos imagem: http://assets.nydailynews.com/polopoly_fs/1.1294161!/img/httpImage/image.jpg_gen/derivatives/article_970/aging21n-2-web.jpg
Advertisements

2 thoughts on “uma defesa do envelhecimento

Add yours

  1. You´re so wonderful and you get better as you get older, no doubt. Lucky me I was there to see the little girl and the marvelous woman. Love you! (23..what? I´m still 25!!!! hahahaha) 😛

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: